notícias

FEBRALOT é contra o fim das vendas da Tele Sena na rede lotérica

O presidente da Federação Brasileira das Empresas Lotéricas – FEBRALOT, Jodismar Amaro manifestou ao BNL contrariedade com encerramento abrupto do convênio para comercialização dos Títulos de Capitalização da Tele Sena e dos Carnês do Baú da Felicidade Jequiti nas Unidades Lotéricas – UL.

“Muito ruim para a rede porque demonstra que a Caixa toma decisões sem avaliar o impacto que vai causar na rede lotérica”, comentou Jodismar.

O dirigente analisou as perdas significativas que a rede lotérica vem tendo nos últimos anos como os bolões diretos (que sustentavam as lotéricas), as loterias instantâneas, os produtos das loterias estaduais e, agora, a Tele Sena e os Carnês do Baú da Felicidade Jequiti.

“Perdemos o Bolão devido a falha do empresário da lotérica de Novo Hamburgo, que era aceito pela Caixa. Logo após a FEBRALOT trabalhou sozinha para retomar o serviço. Investimos na contratação de estudo econômico e realizamos várias reuniões na Secretaria de Acompanhamento Econômico do Ministério da Fazenda, com a Pricila Brandão, Waldir Eustáquio Jr. e Itamar Pereira, que nos ajudaram na solução do problema. Mesmo a Caixa sendo contrária ao serviço, conseguimos aprovar o ‘Bolão Caixa’, que hoje representa 20% do faturamento das lotéricas. Perdemos a loteria instantânea, que será retomada agora com a Lotex e que representava uma média mensal de R$ 1,2 mil para cada unidade. Agora perdemos a comercialização da Tele Sena e dos Carnês do Baú da Felicidade Jequiti, que representam R$ 800,00 em média para cada unidade”, informou.

A Tele Sena tem convênio com a Caixa desde 1994 e tem apoiado a rede há décadas. Segundo o dirigente, as melhores publicidades para as lotéricas são feitas pela Tele Sena, que direciona o publico para as lojas.

“A Caixa não faz publicidade para a rede lotérica e sobre suas loterias. A Mega-Sena esteve acumulada em mais de R$ 210 milhões e o banco não fez uma propaganda sobre o prêmio recorde. A Federação não concorda com o encerramento abrupto do convênio com a Tele Sena por entender que a rede lotérica não pode perder mais nenhum produto. Infelizmente, não sabemos o interesse da Caixa em tirar este público das lotéricas e quais os objetivos da decisão, já que não foi discutido com a rede os impactos financeiros da medida e as alternativas de reposição desta arrecadação para os empresários”, comentou Amaro.

O dirigente defende que as lotéricas deveriam comercializar, além da Tele Sena e dos Carnês do Baú da Felicidade Jequiti, os títulos de capitalização da modalidade Filantropia Premiável, que são autorizados pela Superintendência de Seguros Privados – SUSEP, um órgão do governo federal e os produtos das loterias estaduais com o objetivo de garantir o equilíbrio econômico-financeiro da rede lotérica.

O presidente da FEBRALOT também manifestou preocupação com a falta de informação oficial da Caixa sobre a comercialização da Loteria Instantânea Exclusiva – Lotex na rede. Além disso, o dirigente informou que está acompanhando a regulamentação das apostas esportivas e a possibilidade da rede se inserir na comercialização deste novo produto.

“A Caixa poderia informar oficialmente que deseja participar do processo da Lotex e das apostas esportivas para dar tranquilidade a rede”, finalizou.

Comento: risco da Caixa perder a rede lotérica

A Caixa ainda não percebeu que com a quebra do monopólio o banco poderá perder a rede lotérica através do descredenciamento destas unidades, assim que os empresários conseguirem estabelecer um equilíbrio econômico-financeiro com a venda de outros produtos.

Atualmente, os serviços financeiros representam em média 50% da arrecadação das lotéricas. Como são detentores dos melhores pontos comerciais nas cidades onde estão instaladas, estas unidades poderão garantir seu faturamento com a venda da Lotex, apostas esportivas, Tele Sena, Carnês do Baú da Felicidade Jequiti, títulos de capitalização da modalidade Filantropia Premiável, produtos das loterias estaduais, entre outros.

Em algum momento os empresários lotéricos vão fazer conta para avaliar se é válido manter a ‘parceria’ com a Caixa Econômica Federal.

Este casamento pode estar se aproximando do fim…

(Magnho José – Editor BNLData)

Fonte: www.bnldata.com.br